15 Anos de AngolACA ao serviço do desenvolvimento de Angola

Sep 26, 2018

15 Anos de AngolACA ao serviço do desenvolvimento de Angola

O Grupo ACA instalou-se em Angola em 2003, com a constituição da empresa de direito local - AngolACA – Construções SA - ao abrigo da lei do investimento estrangeiro, executando um projeto de investimento de mais de 13 milhões de dólares. Consciente das oportunidades de negócio no mercado, começou por dedicar-se à produção de agregados para a construção civil, instalando uma burgaleira nos arredores de Luanda. Rapidamente estendeu o seu espectro de atuação à construção civil e obras públicas, cobrindo toda a cadeia de valor, e expandiu a sua atividade para um conjunto alargado de outras regiões - Malanje, Benguela, Huambo e N’Dalatando foram disso exemplos. A estratégia de expansão foi simples e assentou na descentralização a partir de Luanda, com o estabelecimento de bases industriais, verdadeiros centros de competências, nas províncias onde o Grupo se instalava. Uma forma de assegurar a capacidade de autossuficiência de cada uma das operações da AngolACA no território, ao mesmo tempo que ia fornecendo os excedentes ao mercado. Mais importante ainda, dotou cada uma destas operações de gestão própria e capacidade de decisão, fatores que marcaram a diferença. E assim cresceu, alargando a sua atuação geográfica, primeiro, e diversificando as áreas de negócio, a seguir. Em 2010, seguindo a estratégia de alargamento de negócios do Grupo, nasceram duas novas empresas no mercado angolano, a VivAngola, dedicada à distribuição e comercialização de produtos alimentares e a AmbiÁfrica, especializada na conceção e construção de sistemas integrados de captação, tratamento, análise e distribuição de água, conceção e construção de estações de tratamento de águas residuais. Esta empresa dedica-se, também, à higienização urbana e à análise laboratorial de água para consumo. Em 2011 é criada a Agro-Angola, que tem como objeto a execução de projetos de arquitetura paisagística e a produção de produtos agrícolas. Passando por vários momentos do desenvolvimento de Angola no período pós-guerra, a operação do Grupo no país sofreu as sucessivas adaptações à mudança, nunca deixando de apostar na formação de colaboradores nacionais e nos mais elevados padrões de qualidade. Hoje, a dispersão geográfica da AngolACA, com capacidade instalada muito forte, dispersa na maior parte das províncias, a imagem de qualidade, rigor e eficiência que lhe está associada permite-lhe responder, com rapidez e flexibilidade, aos diversos desafios que o mercado apresenta. O objetivo é claro e inequívoco: a AngolACA quer continuar a ser, como tem sido nestes últimos 15 anos, um dos principais players nas suas áreas de atuação e no desenvolvimento de Angola. Como testemunho destes 15 anos ficam as muitas dezenas de obras realizadas no país, nos mais variados setores.

outras noticias